A coroa quer exclusividade

Olá leitores, quase um ano sem postar nada e bastante coisa se manteve e muito se mudou também, para quem não leu meus outros contos espero que leiam depois. Como relatei no último conto eu conheci uma mulher que é uma delícia de coroa, e já faz cerca de um ano que estamos nos pegando, no começo ela exigia muito um motel e poder ter mais tempo comigo mas agora acredito que se adaptou e entende minha rotina, Bianca é uma mulher nem alta nem baixa talvez tenha seus quase 1,68 e conta com um olhar enigmático, peitos tamanho médios arredondados e com bicos grandes uma delícia de se chupar, sua cintura é boa por ela saber se cuidar, uma barriguinha pouca despojada talvez bela cervejinha que ela adora, uma bunda grande e branca e durinha que eu adoro apertar quando, ainda mais quando ela começa a sentar.

Desdo último conto até hoje nós temos ficado frequentemente, no começo eu ainda ficava com outras mulheres além dela, e com o tempo fui parando e tendo somente ela e a minha namorada, eu e Bianca nos encontramos em um relacionamento de muita amizade e confiança junto de muito desejo, sabendo provocar um ao outro e também nos satisfazer.

Sua relação com seu marido melhorou depois da minha chegada pois ela não se vê mais controladora e insegura como antes, agora ela sabe que pode dar troco nas traições que o corninho fizer e também quando ele deixar a desejar, agora vamos ao conto.

Bom em um domingo meados de agosto eu estava em minha casa e conversando bastante com a Bianca, ela estava apenas com o filho em casa, pois o marido havia viajado a trabalho e nós estávamos conversando diversas sacanagens ela me pedindo para parar e eu louco de tesão querendo vê-la, sugeri ir na sua casa e ela dar um jeito de despachar o menino mas ela não via maneiras, pedi pra ir na minha casa mas o medo de deixar o menino só e de ser flagrada comigo era grande.

Fomos conversando, e ela decidiu que iria pedir para o filho ir ao mercado, mas de última hora mudou de ideia e foi de encontro comigo até minha casa, eu vendo de longe aquela mulher da Pele branca refletida pelo sol, com um macacão preto dando um contraste sedutor e discreto me fazia querer muito a agarrar ali no meio da rua. Seguimos para minha casa e assim ela me seguiu, já que ela se encontrava de moto e sabia a cor do meu carro. Chegando em casa entramos e já damos de cara com um senhor vizinho meu o que nos dá um receio, mas mantive a postura a agir sem dar bandeira.

Entramos e bebemos água ela com muito medo e eu também lógico já que era a primeira vez na minha casa e por mais que sabia que ninguém iria chegar àquela hora, bom nunca temos 100% de certeza. Na sala de casa fico sentado no sofá enquanto ela bebe sua água, após beber terminar de beber me chama pra ir até ela pois ela não poderia demorar já que o filho a esperava, eu dou logo sorriso pois não tinha intenção de deixa-la ir tão fácil e me aproximo dela, coloco seus cabelo comprido a traz da orelha seguro sua nuca, aproximo meu rosto ao seu e antes de eu beijo e entrego a ela outro sorriso, mas esse mais despojado e safado, que a faz vir e me beijar, nosso beijo se entrelaça e passo minhas mãos pelo seu corpo e aperto sua bunda e ergo sua perna direita e com a mão esquerda afasto sua cabeça começo a beijar o seu pescoço louco de desejo de morde-la e me segurando ao máximo, dou leve mordidas em sua orelha que a faz dar uma forte respiração e fazer meu pau dar aquela pulsada dentro do short.

Seu beijo continha um sabor forte de cerveja, ela já se encontrando um pouco alta pelas altas latinhas que tomara desdo começo da tarde,não sou chegado a cerveja mas o sabor daquele beijo estava delicioso que eu passei a saborear aquele gosto meio amargo, e pensando em como podia eu não curtir a bebida mas mesmo assim querer mais desse sabor em minha boca, essa troca de sabores me fez apertar fortemente contra a parede sarrando meu pau no sentido da sua buceta, que a fez aperta-lo fortemente, Colados um ao outro se esfregando, paro com o beijo e fico de costas para a parede e a coloco na minha frente com as Costa para mim, nesse momento ela esfrega mais ainda, usando sua bunda gostosa contra meu pau e eu a segurando na cintura com uma mão, a outra em seu peito apertando de tesão, depois alterno para seu cabelo onde faço o movimento para poder beijar seu pescoço que eu sei que ela adora.

A mão da cintura, passeia por sua perna até encontrar a abertura das pernas do macacão e topar com sua bucetinha molhada e babada de tesão, nisso começo a enfiar 1 dedo e alternar entre isso e brincar com seu grelinho que a faz pressionar me mais ainda.

Após alguns bons movimento paro de provoca lá e começo a abrir o zíper do macacão e ela não oferece nenhuma resistência assim, eu continuo a tirar suas roupas, seguindo do sutiã e calcinha de renda cores preta talvez para disfarçar junto ao macacão, neste momento ela também já desce minha bermuda e cueca pois a camisa eu já havia tirado no começo do beijo já que o calor estava de matar e não lembrei nem em pegar um ventilador.

Nisso fomos para o sofá onde por cima se note e desconfortável e trocamos para ela por cima com minhas pernas entrar as dela, posiciono ela senta sem dificuldade por já ter se encharcado em meus dedos antes, ela senta gostoso, subindo e descendo e rebolando e subindo outra vez.

Em seguida ela me pede pra ir pro chão onde tinha um carpete deito e ela continua sentado incansavelmente, e eu adorando aquele corpo a minha frente, ergo minha postura e começo a mamar naqueles seios bicudos e rígidos de tesão, transmitindo um cheiro de quem gozara e um sabor delicioso exauria de seus seios, eu começo a querer gozar e chupo com mais forca querendo satisfazer esse desejo me dando a ilusão de arrancar aqueles bicos em meus lábios.

Trocamos de posição eu por cima ainda nos carpete ela com a cabeça encostando na parte de baixo do sofá, eu começo a penetra-la e aumento a força da penetração e dou uma parada ela me olha com uma cara de quem dizia ” porque você parou”, eu volto a colocar com força querendo gozar o máximo dentro dela, e continuo socando com força e seu corpo começa a ir contra o sofá eu me seguro no sofá e os pés na parede e encontro uma estabilidade onde eu poderia meter com muita firmeza e precisão, assim faço começo a soca-la com força ela se contém para não me arranhar mas aperta minhas costas eu despejo meu gozo dentro dela que sente o inchar do meu pau e solta um baixo gemidinho em meu ouvido e goza outra vez também, eu pingando suor nela ela vem por cima e começa a sentar lentamente enquanto conversamos nisso meu pau já estava meia bomba se entregando ao cansaço do forte gozo, e ainda dentro dela.

Nesse momento ela me diz que somos loucos e que eu não presto, dou um erguida e aproximo sua cabeça para poder ouvir sem desencaixar meu pau dela, digo a ela ” que não presto mas é justamente isso que ela gosta”, ela diz que espera que eu não preste só com ela, pois ela não me cederia pra ninguém mais além da namo, exigindo exclusividade.

Eu apenas sorri e pensei que não era nada sério e ela para de sentar e deita no meu peito, continua o assunto, afirmando ainda sobre não querer eu com outra pessoa, dando a entender que acabaria por com nosso lance, falamos de mais umas outras coisas e levanto para beber água ela se mantém onde estava, bebe a água que levei pra ela e me coloca na parede e de Costa pra mim se esfrega gostoso no meu pau, ela estava com um fogo não visto antes, entendi que a influência disso também era o fato dela estar um pouco bêbada, o que ela me reforça outro dia que aumenta muito o tesão dela.

Enquanto ela se esfrega em mim, minhas mãos passeavam por aquele corpo e aumentava meu desejo, meu pau começa a ficar rígido e ao senti-lo ela já fica de quatro apoiada no braço do sofá, eu encaixo na sua bucetinha e começo a penetra-la lentamente, segurando firme sua cintura e vou bombando ouvindo o som que fazia ao bater minha cintura naquela bunda deliciosa, seguindo paro e mando ela jogar os cabelos para trás e ela obedece, faço o movimento segurando-os firmemente e passo a puxa-la para acompanhar as penetrações que já aumentaram a pressão para poder lhe dar prazer, a mesma começa a apertar o sofá, demonstrando que seu gozo se aproximava eu continuo metendo forte e com muita vontade ate o momento que ela se desfalece em cima do braço do sofá gozando mais uma vez.

Após ela se recompor eu a chamo para tomar um banho comigo ela diz que não podia, não sei o que devolveu a razão a essa mulher mas lembrou do filho e disse que teria que ir embora, assim ela se limpa com minha camisa eu também e logo se veste, vou no meu quarto para pegar a chave do portão ela vem atrás para conhecê-lo pois era a primeira vez na minha casa e queria saber onde dormia seu novinho.

Obrigado, galera quem puder avaliar ou comentar.

Deixe um comentário